DSC05263

Sensibilizar a comunidade académica sobre a importância da prevenção do cancro da próstata e partilhar informações fundamentais sobre a doença foram os pontos focais do evento que teve lugar na Casa da Ciência do Mindelo, nesta segunda-feira, 28 de novembro.

A atividade, intitulada “Dia Azul”, está enquadrado neste Novembro Azul, mês dedicado à consciencialização e sensibilização no que diz respeito ao cancro da próstata, que os estudantes do 4.º ano do curso de Relações Públicas e Secretariado Executivo (RPSE) fizeram questão de assinalar.

O evento contou com a presença da doutora Eliana Soares, da psicóloga Marisia Silvestre e da nutricionista Milene Lima, todas com o objetivo de partilhar o máximo de conhecimento sobre esta doença que, de acordo com a psicóloga “embora se trata de uma doença grave, a percentagem de cura é de 90%, desde que diagnosticado precocemente”. Por este motivo, faz-se necessário a realização do exame preventivo.

Marisia Silvestre defendeu, também, a importância do acompanhamento psicológico ao longo do tratamento.

“O psicólogo é fundamental para o paciente e familiares, pois além de lidar com a doença há que se saber lidar com as emoções, para evitar o suicídio, tendo em conta que muitos homens não suportam a ideia de ser um doente grave e acabam por decidir que a morte é a melhor opção”, sublinhou.

Eliana Soares, por sua vez, alertou sobre a forma como se fala sobre o cancro de próstata e aconselhou o uso de uma linguagem adaptada ao público, “uma educação de base e sem tabus”, de modo a quebrar os estigmas existentes e, assim, evitar constrangimentos futuros.

“O preconceito é a maior barreira na realização dos exames, principalmente o de toque. Isso porque os constructos sociais ‘ferem a masculinidade’ do homem. Além disso temos o sentimento de vergonha quando se trata de pedir ajuda e o medo da rejeição. Muitos homens sentem vergonha, porque a informação, muitas vezes, é divulgada em forma de humor, o que acaba por causar constrangimentos”, pontuou.

Além disso, a doutora Eliana Soares fez saber que, relativamente ao cancro de próstata, além dos fatores hereditários, a incidência e mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos, o excesso de gordura corporal e produtos de petróleo, motor de escape de veiculo, arsênio, fuligem e dioxinas estão associadas ao aparecimento da doença.

Por último, a nutricionista Milene Lima, em sua intervenção, destacou a importância de uma alimentação saudável no que diz respeito à prevenção do cancro da próstata – bem como de outras doenças – e apontou, também, que nesse combate é necessário a prática de exercício físico de forma regular, manter um peso adequado, evitar tabagismo e o consumo de álcool em excesso.

O “Dia Azul” foi projetado, organizado e executado, com maestria, pelos finalistas do 4.º ano de RPSE que já haviam assinalado, também, o Outubro Rosa, com a partilha necessária de informações sobre o cancro de mama.