Calendário de eventos

Flat View
Por ano
Vista mensal
Por mês
Weekly View
Por semana
Daily View
Hoje
Categories
Por categorias
Search
Pesquisar
Descarregar como ficheiro ICAL
Primeira expedição para avaliar a biodiversidade marinha subaquática, ilha de Santiago

B Inferno expedition_ poster pt.jpg

Enquadrado no Projeto ECOVILA - uma abordagem para promover a resiliência do sistema sócio-ecológico em Cabo Verde, a Universidade de Cabo Verde (UNICV), Associação Cabo-verdiana de Ecoturismo (ECOCV) e parceiros, realizam a primeira expedição para avaliar a biodiversidade marinha subaquática da Baía do Inferno, ilha de Santiago, financiada pelo programa Darwin Initiative (Reino Unido).

Atendendo à importância biológica e socioeconómica da Baía do Inferno, há um interesse em definir a área como a primeira Área Marinha Protegida (AMP) de Santiago.

Nos países insulares, os recursos costeiros e marinhos são estratégicos para a diversificação de atividades económicas, mas convém salientar que as atividades económicas em zonas costeiras devem estar associadas aos programas de conservação que possibilitem o uso sustentável dos recursos.

Um dos instrumentos para a conservação da biodiversidade é o estabelecimento de áreas marinhas protegidas que demonstraram ser eficientes na conservação da biodiversidade e na gestão pesqueira. Os resultados da expedição irão permitir o conhecimento da diversidade e abundância da fauna e flora da baía, sendo tais conhecimentos vitais para uma exploração sustentável dos recursos. Essa iniciativa é, sem dúvida, um modelo no que diz respeito às políticas de criação de áreas marinhas protegidas em Cabo Verde, visando o estabelecimento e gestão das mesmas e, deste modo, garantindo a conservação dos recursos marinhos e uso prolongado destes pelas populações locais e gerações futuras.

Primeira expedição para avaliar a biodiversidade marinha subaquática, ilha de Santiago

Descarregar como ficheiro ICAL

B Inferno expedition_ poster pt.jpg

Enquadrado no Projeto ECOVILA - uma abordagem para promover a resiliência do sistema sócio-ecológico em Cabo Verde, a Universidade de Cabo Verde (UNICV), Associação Cabo-verdiana de Ecoturismo (ECOCV) e parceiros, realizam a primeira expedição para avaliar a biodiversidade marinha subaquática da Baía do Inferno, ilha de Santiago, financiada pelo programa Darwin Initiative (Reino Unido).

Atendendo à importância biológica e socioeconómica da Baía do Inferno, há um interesse em definir a área como a primeira Área Marinha Protegida (AMP) de Santiago.

Nos países insulares, os recursos costeiros e marinhos são estratégicos para a diversificação de atividades económicas, mas convém salientar que as atividades económicas em zonas costeiras devem estar associadas aos programas de conservação que possibilitem o uso sustentável dos recursos.

Um dos instrumentos para a conservação da biodiversidade é o estabelecimento de áreas marinhas protegidas que demonstraram ser eficientes na conservação da biodiversidade e na gestão pesqueira. Os resultados da expedição irão permitir o conhecimento da diversidade e abundância da fauna e flora da baía, sendo tais conhecimentos vitais para uma exploração sustentável dos recursos. Essa iniciativa é, sem dúvida, um modelo no que diz respeito às políticas de criação de áreas marinhas protegidas em Cabo Verde, visando o estabelecimento e gestão das mesmas e, deste modo, garantindo a conservação dos recursos marinhos e uso prolongado destes pelas populações locais e gerações futuras.

Voltar