Precauções

LABAMO 607df

Lavar frequentemente as mãos com água e sabão

result 2 2bbec

Limpe e desinfete objetos e superfícies frequentemente tocados

1metro 5e24f

Mantenha a distancia de pelo menos um metro das pessoas

result 4 46284

Estar atentos aos sintomas/factores de riscos

tapaboka ad7df

Tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir

tapaboka ad7df

Praticar a etiqueta respiratória

medicocovid f3163

Manter-se informado e seguir as recomendações

result 5 7c212

 

#NuFikaNaKaza

Situações de Alerta

Se sentir febre, tosse e dificuldade em respirar, procure orientação médica imediatamente, pois isso pode ocorrer devido a uma infeção respiratória ou outra condição séria. Ligue, logo que possível, para a autoridade sanitária local e informe de qualquer viagem recente ou de contacto com outros viajantes.

sintomas covid 56fd9

Notícias

Retoma gradual das atividades presenciai…

Casa da Ciência da Uni-CV produz protóti…

Encontro da Reitora com os Estudantes da…

 

Ensaios

Estudante da Uni-CV aponta as medidas de…

Docente e Investigador da Uni-CV recomen…

Investigadores analisam 31 dias da Vigên…

Combate ao Covid-19: Investigadores prop…

FAQ

O que é o vírus COVID 19?

Trata-se de um vírus RNA da ordem Nidovirales da família Coronaviridae. 

Os vírus da SARS-CoV, MERS-CoV e SARS-CoV-2 são do género Betacoronavírus que infetam somente mamíferos; são altamente patogénicos e responsáveis por causar síndrome respiratória e gastrointestinal. Além desses três, há outros quatro tipos de coronavírus que podem induzir doenças no trato respiratório superior e, eventualmente inferior, em indivíduos imunodeprimidos e/ou com comorbidades.

Como se transmite?

A sua transmissão ocorre habitualmente por via aérea ou contato com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro e tosse.

Está confirmado que o COVID-19 é uma zoonose e que a transmissão homem a homem ocorre de forma continuada. O reservatório animal bem como a fonte animal de transmissão para humanos continuam incertos. 

As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em curso. 

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas mais comuns são: febre (> 38ºC), dificuldade em respirar, tosse, dor de garganta, dores musculares, dores articulares e dores de cabeça, náuseas, vómitos e ou diarreia.

Qual o período de incubação?

Estima-se que o período de incubação seja de 2 a 14 dias. Contudo, há estudos que evidenciam que este período pode se estender até 24 dias.

Existe uma vacina?

Não existe vacina. Sendo um vírus recentemente identificado, estão em curso as investigações para o seu desenvolvimento.

Que medidas preventivas foram tomadas pela UniCV?

Os membros da comunidade e visitantes da Universidade de Cabo Verde que tenham estado em locais onde se verifica transmissão ativa do novo coronavírus devem respeitar um período de quarentena de 14 dias e:

  • Estar atentos ao aparecimento de febre, tosse ou dificuldade respiratória;
  • Verificar se alguma das pessoas com quem conviveu de perto foi diagnosticado como caso confirmado; 
  • Caso apareça algum dos sintomas referidos (no próprio ou nos seus conviventes), não deve se deslocar de imediato aos serviços de saúde, mas ligar para a linha verde (800 11 12), seguir as orientações que lhe forem transmitidas e informar os Serviços de Ação Social pelo correio eletrónico This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..

Como se identifica um caso suspeito?

  • Paciente com doença respiratória aguda (febre e pelo menos um sinal / sintoma de doença respiratória (por exemplo tosse, falta de ar), e sem outra etiologia que a apresentação clínica. E um histórico de viagens ou residência em um país / área ou território que comunica transmissão local da doença de COVID-19 durante os 14 dias anteriores ao início dos sintomas. 
  • Paciente com qualquer doença respiratória aguda e tendo estado em contacto com um caso confirmado ou provável de COVID-19 nos últimos14 dias antes do início dos sintomas;

Que procedimentos se deve tomar perante uma pessoa que teve contacto próximo com uma pessoa infetada?

Considera-se “contacto próximo”, um membro da Comunidade Académica da Uni-CV que não apresenta sintomas no momento, mas que teve ou pode ter tido contacto com um caso confirmado de COVID-19. O tipo de exposição do contacto próximo determinará o tipo de vigilância.

O contacto próximo com caso confirmado de COVID-19 pode ser de:

  • Alto risco de exposição, e é definido como: o colega que partilhe gabinete, sala, secção ou área até 2 metros do caso confirmado; o membro da comunidade académica ou outro que tenha estado face a face com o caso confirmado ou que esteve com este em espaço fechado; o colega que tenha partilhado com o caso confirmado loiça (pratos, copos, talheres), toalhas ou outros objetos ou equipamentos (telefones, impressoras) que possam estar contaminados com gotículas respiratórias. 
  • Baixo risco de exposição, é definido como: o membro da comunidade académica da Uni-CV que teve contacto esporádico (momentâneo) com o caso confirmado; o membro da comunidade Académica que prestou assistência ao caso confirmado, desde que tenha seguido as medidas de prevenção (ex. utilização adequada de máscara e luvas, etiqueta respiratória, higiene das mãos). 

Tendo em conta que o período de incubação estimado da COVID-19 é de 2 a 14 dias, assume-se como medida de precaução, a vigilância ativa dos contactos próximos durante 14 dias desde a data da última exposição.

A vigilância de contactos próximos com “Alto risco de exposição” implica: 

  • Monitorização ativa pela autoridade de saúde local durante 14 dias desde a última exposição;
  • Não se deslocar à Universidade de Cabo Verde nesses 14 dias; 
  • Realizar a autovigilância diariamente dos sintomas da COVID-19, incluindo febre, tosse ou dificuldade em respirar; 
  • Restringir o contacto social ao indispensável;
  • Estar contactável para monitorização ativa durante os 14 dias desde a data da última exposição. 

A vigilância de contactos próximos com “Baixo risco de exposição” implica: 

  • Realizar a autovigilância diariamente dos sintomas da COVID-19, incluindo febre, tosse ou dificuldade em respirar; 
  • Se nenhum sintoma surgir nos 14 dias decorrentes da última exposição, a situação fica encerrada para efeitos de prevenção e combate ao COVID-19.

Quais as precauções perante alguns sintomas do COVID 19?

Qualquer membro da Comunidade Académica com sinais e sintomas de COVID-19 ou que identifiquem um membro da Comunidade Académica com critérios compatíveis com a definição de caso suspeito, devem informar os responsáveis pelo Plano de Contingência, para a linha 103 e depois dirigir-se para a sala de “isolamento” 122.

O que será feito caso for detetado um suspeito com sintomas do COVID-19 na UniCV?

A Autoridade de Saúde Local informará a Reitoria dos resultados dos testes laboratoriais e: 

  • Se o caso não for confirmado, este fica encerrado para o COVID-19, sendo aplicados os procedimentos habituais em caso de doença, incluindo a limpeza e desinfeção, sendo neste caso, desativadas as medidas do Plano de Contingência.
  • Se o caso for confirmado, deverá a Equipa do Plano de Contingência providenciar a limpeza e desinfeção (descontaminação) da área de “isolamento”. Caso não venham a ser definidas outras orientações pelas autoridades de saúde, a área de isolamento deverá ficar interdita até à validação da descontaminação (limpeza e desinfeção).

Pin It