banner-unicv-ufp.jpg

A colaboração entre a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) e a Universidade Federal do Pará (UFPA) tem trazido muitos benefícios para as ambas universidades, o que contribui para o aperfeiçoamento do sistema de ensino de pós-graduação da Uni-CV e da UFPA. Na semana de abertura do ano letivo relizou-se o III Seminário de Segurança Pública com os alunos do mestrado. A Uni-CV conversou com o professor Edson Marcos Leal Soares Ramos que ministra Unidade(s) de Crédito e orienta alunos do curso de Mestrado em Segurança Pública na Universidade de Cabo Verde.

Edson Ramos é Bacharel em Estatística pela Universidade Federal do Pará (1994), mestre em Estatística pela Universidade Federal de Pernambuco (1999) e doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Atualmente é professor Associado IV da Universidade Federal do Pará e professor colaborador da Universidade Pública de Cabo Verde, no mestrado de Segurança Pública. É o Atual coordenador do Mestrado em Segurança da UFPA. Na sua atuação profissional, trata principalmente os seguintes temas: Diagnósticos e Análises Estatísticas em Segurança Pública; Levantamentos Censitários e Amostrais na Área de Segurança Pública; Estudos Relacionados à Violência Contra Criança e Adolescentes; Homicídios; Tráfico de Drogas; Violência de Gênero; Violência de Doméstica; Crimes Tecnológicos; Tecnologia em Segurança Pública. Edson Ramos falou sobre o início da cooperação e os ganhos para ambas as universidades. Confira a seguir a entrevista concedida ao Gabinete de Comunicação e Imagem da Uni-CV.

Uni-CV: Quando começou a cooperação entre a Uni-CV e a UFPA?

Edson Ramos: A cooperação entre a Uni-CV e a UFPA aconteceu em 2010, quando o Ministério da Administração Interna de Cabo Verde, junto com a Polícia Nacional, em contato com a Uni-CV, solicitaram um curso de formação a nível de pós-graduação em Segurança Pública. Na ocasião, se cogitou fazer um curso de especialização, mas a Polícia Nacional queria mais do que uma especialização, então foi proposto um primeiro curso de Mestrado em Segurança Pública Gestão e Mediações em Conflitos.

No final de 2010, aconteceu o protocolo entre a Uni-CV e a UFPA e a seleção dos alunos para fazer parte do primeiro mestrado em Segurança Pública em Cabo Verde. A primeira turma iniciou nos finais de 2010 e início de 2011 e teve 21 alunos, de instituições como a Polícia Nacional e a Polícia Judiciária. Em 2015 houve a seleção da segunda turma, com 26 alunos. Três messes depois, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) aprovou o curso de mestrado em Segurança Pública na UFPA.

Vale destacar alguns exemplos de alunos da primeira turma que hoje são comandantes gerais das esquadras policiais em Cabo Verde, como por exemplo, Domingos Rosa, que é o comandante geral da esquadra policial do Palmarejo e o Hermínio da Veiga, que é o comandante geral da esquadra policial da Achada de Santo António.

Uni-CV: Quais são os ganhos da cooperação entre as duas Universidades?

Edson Ramos: Posso dizer que os ganhos são muitos e com novos projetos. Em 2012, a CAPES, junto com a Associação de Universidades de Língua Portuguesa (AULP), lançou um Edital de mobilidade internacional. Nesse edital, a UFPA concorreu com três projetos: Construção de Indicadores da Violência Urbana na Cidade da Praia; Rituais de Morte e Delinquência Juvenil na Cidade na Praia. A partir desses três projetos foram 7 pessoas de Cabo Verde em mobilidade para o Brasil  e vieram  10 pessoas do Brasil para Cabo Verde.

Em 2015, foi promovido o I Congresso Internacional de Segurança e Defesa (CISD), que aconteceu no Campus do Palmarejo, contou com 110 participantes internacionais e investigadores do Brasil, Angola, Portugal, Cuba, Moçambique e de Cabo Verde. Dos trabalhos apresentados no seminário e Conferências, foi elaborado o livro “Segurança e Defesa, Conflitos entre Criminalidade e Tecnologias de Informação”. Desse seminário surgiu a marca SISD (Seminário Internacional de Segurança e Defesa) e a II SISD acontece esse ano, no mês de novembro, na Escola de Administração e na Faculdade de Direito, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, que conta com a conglomeração de 7 universidades.

Um outro fruto da parceria entre as duas universidades aconteceu no ano de 2016, com o lançamento de três livros que contém como abordagem geral sobre a Segurança Pública, composto por 21 capítulos e da autoria de diversos profissionais. Nesse livro, 18 capítulos são de pesquisadores cabo-verdianos com ênfase em Violência Urbana, Violência Juvenil e Violência Baseada no Género. As três obras juntas formam 63 artigos publicados na área de Segurança Pública.

Ainda em 2016, foi lançado o livro “Métodos de Ações Nutricionais em Quilombos”, publicado em parceria com UFPA e Uni-CV e, em 2017, fizemos a entrega simbólica desses livros ao Presidente da AULP que sempre apoiou os nossos projetos. Para esse ano, fechamos uma parceria com as Edições Uni-CV, com a Dra. Elisabeth Coutinho, para publicar mais 6 livros, com ilustrações de folclore Cabo-verdiano, para mostrar um pouco da cultura daqui.

Uni-CV: Quais são os ganhos para a Universidade Federal do Pará?

Edson Ramos: Um dos ganhos é que hoje a UFPA é considerada uma das melhores universidades do mundo. Temos a oportunidade de transmitir o conhecimento que foi gerado durante os 61 anos de existência. Nesse tempo todo, nós nunca pensamos em endogenia, ou seja, em manter o conhecimento dentro da nossa universidade.

A universidade tem uma função única no mundo que é sempre transmitir conhecimento e, nós temos conhecimento sobre Segurança Pública e temos a oportunidade de levá-la a outras universidades. E isso faz com que a nossa universidade tenha uma visão do mundo. O Brasil, também, é conhecido pela violência que é acometido, mas as pessoas não conhecem as formas e estudos desenvolvidos relacionados ao combate da violência. Como temos um país muito grande, com vários tipos de atuação criminosa, a partir de nossos estudos adquirimos muitas experiências neste campo de estudo. Trazer essas experiências de estudo sobre a violência, de trabalhar com a inteligência e não com força, é uma coisa que tem levado os pesquisadores da UFPA a apresentar os resultados suas pesquisas em vários lugares do mundo, com isso a UFPA tem tido uma projeção no campo de estudos relacionados a área de Segurança Pública. É assim que a UFPA ganha!

Uni-CV: Qual é avaliação que faz da primeira turma de mestrado?

Edson Ramos: A primeira turma teve seu foco  estudos em gestão em segurança publica, foi uma turma composta por discentes muito aplicados aos estudos. Nela haviam pessoas do alto escalão, o que seria a “nata” em Segurança Pública de Cabo Verde, a maioria dos alunos defenderam os seus trabalhos e alguns apresentaram os seus trabalhos em conferências na Europa e nas Américas. Realmente foi uma turma muito boa e digo, mais uma vez, muito aplicada. 

Uni-CV: Poderia citar alguns projetos dos alunos da primeira turma de mestrado em Segurança Pública que estão a contribuir para mudanças na Segurança Pública em Cabo Verde?

Edson Ramos: Muitos trabalhos que foram desenvolvidos pelos alunos acabaram, de alguma forma, nas Políticas de Aplicação Pública e de Análise de Segurança de Cabo Verde. Como por exemplo, tivemos um caso em que uma polícia de trânsito morreu na festa do 1 de Maio em São Filipe. Com essa ocorrência, nas festas seguintes um dos alunos da Turma, Hermínio da Veiga, criou mapas e fotos aéreas para fazer com que o trânsito não se aproximasse da aglomeração da população e o trajeto na rua principal ficasse aberto durante algumas horas, tudo isso foi avisado para a população, antes, durante e depois do término das missas e nos horários dos eventos, desse modo não houve nenhuma ocorrência policial. As localizações das câmaras de segurança que temos agora foi tudo feito antes, com base num planejamento de onde e como devem ser localizadas, foram posicionadas graças a trabalhos de alunos do mestrado.

A forma como é tratada a Contabilidade da Polícia e as Estatísticas, que antes eram muito dependentes do INE, hoje a Polícia tem o seu controle estatístico e gestão da base de dados de atendimento. Tudo isso foi baseado nos trabalhos de graduação dos alunos de Segurança Pública, no fechamento do curso com as defesas das dissertações. Um dos melhores trabalhos que temos foi o do Comandante Manuel Alves, que mapeou todos os grupos de “Thugs” da  cidade da Praia, a partir desse estudo foi possível conhecer, quem eram os seus componentes, que grupo tinha rivalidade com outros grupos, como eram as suas formas de atuação, onde atuavam, quem era os seus dirigentes e, principalmente, a forma de recrutamento.

Uni-CV: O que se espera da segunda turma de mestrado em Segurança Pública?

Edson Ramos: Na segunda turma esperamos trabalhos mais aplicados, que apresentem resultados mais aplicados, estudos mais diretos no campo da Segurança Pública, porque na primeira turma foram realizados estudos relacionados a gestão e ao desenvolvimento de indicadores de Segurança Pública. Agora é preciso que esses estudos tenham aplicação no terreno. Esses alunos têm que ter uma outra visão na forma de trabalhar, ter uma aproximação e ouvir a população porque, a forma com a polícia atua tem que mudar com o tempo, dado que um grande parceiro da polícia é a população. Nessa segunda turma após o desenvolvimento de alguns trabalhos chegou-se a conclusão que é muito importante ter a população como amiga para combater a criminalidade.

Uni-CV: Como especialista da área como avalia a Segurança pública em Cabo Verde?

Edson Ramos: Bem, há cinco anos, existia uma tendência de aumento da criminalidade. Hoje posso dizer que a criminalidade já passou por uma fase de estabilização e agora muitos crimes estão em queda. Os crimes que mais trazem trauma á população são crimes referentes ao “Kassu Bodi”: o trauma da vítima de ser abordada e às vezes com algum tipo de ação mais violenta que parte para agressão física e ameaças com algum tipo de arma. Esse tipo de infração já não é tão crescente, encontra-se agora numa fase decrescente e nessa vertente acabam surgindo outros crimes, numa tendência crescente, como os crimes de violência baseada no género que, agora com a sua notificação na lei, começa a aumentar. Por isso é preciso que se faça um trabalho junto das crianças para que no futuro, haja mais respeito e menos violência envolvendo as avós, mães, esposas, irmãs e filhas. Assim, como no Brasil esse tipo de crime tem que ser tratado agora com mais cuidado!

Outros crimes surgem vêm com a melhoria da qualidade de vida da população quando aumenta também o poder aquisitivo, a circulação de dinheiro e aumenta a visão de algumas pessoas de ganhar esse dinheiro de forma mais fácil: subtraindo-o das outras pessoas. Portanto, nos locais onde as pessoas procuram lazer - praias, bares, restaurantes - têm que ser mais vigiados, porque esses locais são atrativos para esse tipo de crime. Então aí que tem que ter um apoio maior da polícia e um plenejamento melhor para atuar nesses seguementos.

Uni-CV: Quais são as outras áreas que a UFPA pretende cooperar com a Uni-CV?

Edson Ramos: O nosso Vice-Reitor, Prof. Dr. Gilmar Pereira, veio na presente missão com essa finalidade, de fazer novas cooperações e em outras áreas. As áreas da Educação, Saúde Coletiva, Medicina e Geografia devem ser os próximos cursos a terem uma parceria com uma certa formação avançada da UFPA.

 Uni-CV: Porquê essas áreas?

Edson Ramos: Porque foi uma solicitação da própria Universidade de Cabo Verde. Penso que nestas áreas do conhecimento devem haver mais lacunas e, por isso, solicitaram uma parceria para preenche-las. A parceira não vê limites de áreas, pelo contrário, ela é ampla só tem que ver como será viabilizada e de acordo com as necessidades do país. Sugiro também que possa ser feita uma parceria na área do Turismo, Hotelaria, Gestão, Empreendedorismo, Lazer e Comunicação, principalmente no Jornalismo Investigativo.

Pin It