IMG_3378.JPG

No âmbito das comemorações do mês da Língua Francesa e da Francofonia, o Instituto de Língua Francesa da Universidade de Cabo Verde tem vindo a realizar várias atividades para assinalar o Dia Internacional da Francofonia, que se celebra a 20 de Março.

O torneio de Petanca, sendo um desporte francês tradicional e tendo amadores na Praia, foi a primeira atividade a ser realizada. Contou com as presenças do Embaixador de França, Dr. Olivier da Silva, a Diretora do ILF, Dra. Aline Pradignac, além de membros da comunidade francófona em Cabo Verde, ex-estudantes do Instituto de Língua Francesa e funcionários de embaixadas em Cabo Verde, professores da escola Les Alizés e estudantes da Uni-CV, num total de cerca de 25 participantes. A equipe vencedora receberá um prémio no decurso da festa de encerramento das comemorações, que acontece no dia 23 de março, no ILF, no Edifício da Escola Grande, no Plateau.

Pentanca.png

Um atelier de dança tradicional francófona foi realizado no Edifício da Escola Grande, no qual os participantes tiveram a oportunidade de descobrir a história e a prática de danças tradicionais francófonas, como o Sega Maloya da Ilha da Reunião.

dança.png

A “Conversa Aberta” sobre a “importância da língua francesa no mercado de trabalho cabo-verdiano”, foi promovida pela Professora de francês da Uni-CV, Maria Rosa Agues Martins, e estudantes do 2º ano de Relações Públicas e Secretariado Executivo, no âmbito da disciplina de Francês para fins específicos IV.

Dos oradores da “Conversa Aberta”, fizeram parte a Diretora Geral do Instituto da Africa Ocidental em Cabo Verde, a Prof. Djénéba Traoré (na qualidade de representante de um organismo internacional onde o domínio de línguas é fundamental); a Presidente da FCSHA, professora Cristina Ferreira (na qualidade de ex estudante universitária em França); a Presidente da OMCV, Dra. Idalina Freire (na qualidade de antiga estudante de francês na Uni-CV – ex ISE e de Presidente de uma ONG); a Dra. Nicole Cossiba (na qualidade de antiga estudante de francês na Uni-CV – ex ISE e funcionária do Ministério dos Negócios Estrangeiros – tradução e diplomacia); o Dr. Wilson da Glória (na qualidade de antigo estudante de francês na Uni-CV e profissional da área do turismo) e o Sr. Euclides Ramos (na qualidade estudante de Estudos franceses da Uni-CV e profissional na área do turismo).

A “Conversa Aberta”, moderada pelo professor Arlindo Barreto, docente de francês da Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes da Uni-CV, contou com a presença da Embaixadora do Senegal, a Senhora Seynabou Dial;da  Adida para a Cooperação e Ação Cultural da Embaixada de França, Drª. Graziella Neves-Forte Canihac; da Directora Geral do Instituto da Africa Ocidental em Cabo Verde, a Prof. Djénéba Traoré; do Diretor Geral do Ensino Superior, Doutor Aquilino Varela; do Presidente da ENG, Doutor Odair Varela; da Presidente da FCSHA, Prof. Doutora Cristina Ferreira; da Diretora do ILF, Dra. Aline Pradignac; do Presidente do IEFP Dr, Paulo Santos e de docentes e estudantes.

conversa_aberta.png

No dia 16 de março foi apresentado o livro “l’île des femmes, paroles des batukaderas de l’île de Santiago (Cap Vert)” e a projeção do documentário “L’île des Femmes”, de Cecile Canut, realizadora, sociolinguista e professora da Universidade Paris Descartes Sorbonne Paris Cité, produtora de vários documentários, incluindo “Ilha di mudjer", em 2014, produzido por Tutti e Ceped e apresentado em Paris, em junho do mesmo ano.

Este volume, publicado em maio de 2017 por Petra Publishing, é o resultado do encontro entre a realizadora e Isalina Jassira Pinto, aka Já, que se tornou na principal atriz do filme. Na verdade, durante a preparação da filmagem de "A Ilha das Mulheres", já descreve a sua aventura por escrito, que será então o tema essencial deste livro.

O livro "A Ilha das Mulheres" consiste em fragmentos de textos, canções de batuku, discussões gravadas, histórias, voiceovers, poemas e letras.

Para além da apresentação da obra, foram organizadas, pelo clube francês da Uni-CV, várias atividades como teatro, dança, poesia, música, desfile.

O Mês da Língua Francesa e da Francofonia é promovido pelo Instituto da Língua Francesa (ILF) e a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), e conta com a parceria da Embaixada da França em Cabo Verde, da Organização Internacional da Francofonia (OIF), da Embaixada do Luxemburgo, do Senegal e da Associação de Professores de Francês (APROF).

clube_frances.png

A Organização Internacional da Francofonia (OIF) foi criada em 1970, em França, e tem por missão dar corpo a uma solidariedade activa entre os 80 Estados e Governos que a compõem (57 membros e 23 observadores), ou seja, mais de um terço dos Estados membros das Nações Unidas, totalizando uma população de mais de 890 milhões de pessoas, 274 milhões das quais são francófonas.

A OIF implementa acções políticas e de cooperação multilateral em proveito de populações francófonas, e a sua actuação está submetida ao respeito pela diversidade cultural e linguística ao serviço da promoção da língua francesa, da paz e do desenvolvimento durável.

 As atividades propostas nesta ocasião também são uma oportunidade para reunir os francófonos, lembrar a importância da língua francesa e promovê-la através de atividades culturais e desportivas, mas também divulgar e descobrir as culturas francófonas. Também dão a oportunidade aos vários atores do ensino / aprendizagem do francês, permite dar mais visibilidade ao ILF Uni-CV, bem como aos professores e estudantes de estarem em contato com o Língua francesa de uma maneira diferente e apelativa.

Mais fotografia no flickr

Conversa aberta sobre importância da língua Francesa no mercado trabalho cabo-verdiano

Pin It