Os Investigadores da Universidade da Califórnia, Professores Judith Carney e Richard Rosomoff proferiram uma conferência intitulada “O Legado Alimentar de África no Mundo Atlântico”, na segunda-feira, dia 29 de janeiro, no auditório da Escola de Negócios e Governação, na Praia.

A autora, membro da Academia de Ciências dos EUA e professora na Universidade de Califórnia (Los Angeles), defendeu que, contrariamente ao que a história ensina, “o arroz só chegou às Américas levado pelos africanos”.

Sintetizando a sua tese, baseada em vários anos de estudos e um doutoramento, a Professora Carney sustenta que foram os plantadores de arroz africanos que introduziram as técnicas de cultivo para o estabelecimento e expansão, no séc. XVIII, dos sistemas de plantação de arroz na Carolina do Sul e da Geórgia (EUA), portanto, a "história do arroz nas Américas tem origens africanas". Segundo afirma, o arroz foi levado para as Américas por escravos que já conheciam técnicas de cultivo de há muitos anos antes da chegada dos europeus.

“Depois da chegada ao novo mundo, ocasionalmente havia escassez de alimentos, isso dava então aos escravizados a oportunidade de plantar as sementes e reconstruírem alimentos com os quais estavam familiarizados na sua dieta. O arroz foi, assim, o primeiro a ser introduzido nesse mundo novo e tornou-se a base de uma das mais lucrativas plantações da Carolina do Sul, Geórgia, Norte da Flórida e parte da costa da Carolina do Norte” avançou a Professora Judith Carney.

O livro da Professora norte-americana apresenta "provas irrefutáveis", nas áreas da genética, botânica, etnobotânica, antropologia, agronomia, história e cultura, sobre o percurso do arroz no mundo.

Mais fotografias no flickr

Investigadores da Universidade da Califórnia proferem conferência “O Legado Alimentar de África no Mundo Atlântico”

Pin It